Grêmio rechaça reposição a Jailson e valoriza joias da base: “Bem servidos”




Ainda resta acertar uma série de questões burocráticas até a oficialização do negócio, mas o Grêmio não fez muito esforço para segurar Jailson diante do interesse do Santos, após receber uma proposta de compra considerada vantajosa. O Tricolor o fez com convicção na força de seu elenco e com confiança na ascensão dos jovens Matheus Henrique e Victor Bobsin para suprir a provável ausência do volante. Prova disso é que, mesmo com a saída iminente, a diretoria gremista rechaça a busca por reposições para a função no desenrolar da temporada.

Até porque a transferência de Jailson não se transformará numa perda de um titular absoluto da equipe em 2018. O jogador de 22 anos, verdade seja dita, é opção recorrente de Renato Portaluppi, mas para surprir as ausências dos titulares Maicon e Arthur no meio-campo. Prova disso é que o atleta iniciou em campo a final da Libertadores de 2017 e permaneceu no time, ao lado de Michel, na disputa do Mundial de Clubes. Recentemente, o volante completou 100 jogos pelo Tricolor, com 22 aparições e um gol marcado ainda nesta temporada.

“Está muito bem servido de volantes” (Presidente Romildo Bolzan)

Volante Matheus Henrique já integra o grupo principal do Grêmio (Foto: Lucas Uebel / Grêmio F.B.P.A.)

Ainda assim, a diretoria decidiu por abrir mão de seu futebol, mesmo após pesar bem sua importância ao grupo. Claro, os valores sinalizados pelo Santos, próximos ao que o clube esperava faturar numa eventual transferência ao futebol europeu, pesaram.

Mas além da questão financeira, levou-se em conta as respostas mais do que satisfatórias de Michel e Cícero ao ocupar as posições dos titulares. No último domingo, por exemplo, o camisa 10 brilhou com uma partida impecável, sem um passe errado sequer, e com a assistência para Everton na vitória

Leia a notícia completa em:

Grêmio rechaça reposição a Jailson e valoriza joias da base: "Bem servidos"