Ídolos, banda e gratidão: gremistas se despedem de Tarciso, um dos maiores nomes do clube




Cercado de ídolos e nomes históricos: assim se despediu um dos maiores da história do Grêmio. Tarciso Flecha Negra, jogador que mais vezes vestiu a camisa gremista, foi velado na tarde desta quarta-feira, na Câmara Municipal de Vereadores. Aos 67 anos, o vereador da cidade de Porto Alegre morreu vítima de um tumor ósseo. O hino do Grêmio tocou durante todo o tempo da ceromônia.

Tarciso é o jogador com mais partidas pelo Grêmio. São 721 jogos pelo clube gaúcho entre 73 e 85. Conquistou cinco capeonatos gaúchos, um Brasileiro, uma Libertadores e um Mundial. É também o segundo atleta com mais gols na história gremista, com 226 bolas na rede.

“É um baque, uma dificuldade para a gente, não tem muito o que dizer. O atleta que mais vestiu a camisa do Grêmio, um dos maiores clubes do mundo. Este é o tamanho do Tarciso, é assim que todos nós temos que olhar para ele” (Danrlei, ex-goleiro do Grêmio)

Velório de Tarciso Flecha Negra, ídolo do Grêmio — Foto: Eduardo Moura

– Ele mostoru o que é a essência de vestir a camisa do Grêmio. Sem pedir nada em troca, por amor, de coração. O amor que eu tenho pelo Grêmio, muito vem de ver esse cara, que chegou e vestiu e veste até hoje. E agora, que Deus o tenha, vai continuar nos mostrando o caminho do que é correto – disse Danrlei, hoje deputado federal.

Muitos ex-colegas participaram do velório de Tarciso. No meio da tarde, passaram pelo local nomes como Iúra, Paulo Roberto, China, Mazaropi e outros. O vice-presidente do Conselho Deliberativo do Grêmio, Alexandre Bugin, representou o clube, assim como muitos funcionários. Uma das filhas de Tarciso, Gabriela, trabalha na comunição do clube gaúcho.

A morte do ex-jogador pegou até os amigos mais próximos de surpresa. Ele lutava contra um tumor ósseo, mas mantinha a doença em sigilo. Tarciso passou cerca de uma semana internado no Hospital São Lucas da PUCRS e recebeu alta na última sexta-feira. Na segunda, seu estado de saúde piorou e ele foi novamente internado. A morte ocorreu na madrugada desta quarta.

– No futebol são poucos que podemos considerar amigos. O Tarciso era um amigo. Foi um choque muito grande, eu não sabia, ele escondeu de todo mundo o que estava passando. Foi com muita surpresa. Foi uma coisa que nunca tinha sentido, deu um branco, mas Deus sempre tem o melhor, que ele esteja em paz. Fico com a imagem da última vez que vi ele, um cara cheio de saúde, alegre, sorridente – lamentou Paulo Roberto, ex-companheiro de Tarciso.

Banda da Geral do Grêmio presta homenagem — Foto: Eduardo Moura

Figuras políticas, como o prefeito em exercício, Gustavo Paim, e o ex-prefeito José Fogaça, também estiveram na Câmara de Vereadores, entre outras personalidades, assim como o presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelletto.

– Parece que jogamos juntos, convivemos juntos, me pegou de surpresa a morte dele. Esteve há 20 dias na Federação. Perdi um amigo, o futebol gaúcho perdeu um grande ídolo, quase 800 jogos vestindo a camisa do Grêmio, campeão nacional, Libertadores, campeão do mundo. À própria cidade fez um belíssimo trabalho como vereador. Não dá para descrever o que o RS perdeu, mesmo não sendo gaúcho, a perda foi muito grande – disse Novelleto.

O ex-atacante do Grêmio Hernán Barcos, atualmente no Cruzeiro, também esteve no local para se despedir do ídolo gremista. Próximo das 15h30, houve uma cerimônia religiosa celebrada. Logo depois, a banda da Geral do Grêmio prestou uma homenagem ao tocar músicas da torcida.

Por volta das 16h, o corpo de Tarciso foi levado por amigos e familiares e saudado com uma salva de palmas pelos presentes. O sepultamento do ídolo gremista ocorre às 18h no Cemitério Jardim da Paz, em Porto Alegre.

Relembre a história de Tarciso Flecha Negra no Grêmio

Mineiro de São Geraldo, José Tarciso de Sousa nasceu em 15 de setembro de 1951, justamente no

Leia a notícia completa em:

Ídolos, banda e gratidão: gremistas se despedem de Tarciso, um dos maiores nomes do clube