Na Venezuela, Geromel celebra convocação para Copa: “Momento mais alto da carreira”




– Com certeza é o momento mais alto da carreira, o sonho de criança de todos jogadores de futebol. Estou muito feliz com essa convocação. Sensação de que tudo vale a pena. Ser a pessoa correta, trabalhar, as coisas funcionam a seu favor. Tive a oportunidade de agradecer aos companheiros por todo esse tempo. Sem eles, não teria essa chance – disse Geromel.

O defensor acompanhou ao vivo a convocação em um lugar reservado pelo staff do Hotel San Miguel, em Maturín, onde o Grêmio enfrenta o Monagas, na terça-feira, pela Libertadores. Todo grupo, comissão técnica e equipe de apoio esteve presente e cumprimentou o zagueiro. Renato foi o primeiro deles.

– Estava todo mundo, jogadores, comissão técnica, pessoal do apoio. O Renato foi a primeira pessoa que me deu o abraço. Não conversamos ainda, mas foi um abraço que fala mais que mil palavras – sorriu.

Com o passaporte carimbado para a Rússia, Geromel tem dois jogos pelo Grêmio em seu horizonte antes de se apresentar à Seleção. O zagueiro entra em campo nesta terça-feira, às 21h30, no Estádio Monumental de Maturín para encarar o Monagas, pela 5ª rodada da Libertadores. Depois, fica à disposição para o duelo com o Paraná no próximo domingo, às 16h, no Durival Brito, pela 6ª rodada do Brasileirão. E desfalca o Tricolor em seis rodadas no Nacional, além do duelo que encerra a primeira fase da Libertdores, contra o Defensor em casa.

O zagueiro se apresenta à Seleção em 21 de maio para iniciar o período de preparação para a Copa, com viagem para Londres prevista para o dia 27. O Brasil tem dois amistosos em vista antes do Mundial: enfrenta a Croácia em 3 de junho, em Liverpool, e a Áustria, em 10 de junho, em Viena. A estreia ocorre em 17 de junho, contra a Suíça, em Rostov-on-Don.

Confira o que Geromel disse na entrevista coletiva:

Melhor momento da carreira

“Momento mais alto da carreira, é o sonho de criança, de todos jogadores de futebol. Estou muito feliz com essa oportunidade”.

Como acompanhou a convocação

“O JP (João Paulo Fontoura, assessor de imprensa) conseguiu organizar um lugar para a gente acompanhar ao vivo. O time todo estava presente. Foi um momento bem feliz que vou levar para a eternidade”.

Sensação de ir para a Copa

“Satisfação. Sensação de que tudo vale a pena. Ser a pessoa correta, trabalhar, de alguma forma as coisas funcionam a seu favor. Estava com meus companheiros, qu estavam em tantos momentos. Tive a oportunidade de agradecer a eles todos por todo empenho, dedicação ao longo dos anos. Jogamos domingo, jogamos quarta-feira passada e já estamos aqui de novo viajando. Sem eles, não teria essa chance”.

“Sensação de realização, poder chegar aonde cheguei, sem pisar em ninguém, trabalhando sério, crescendo sempre e quem sabe inspirar as crianças que têm o mesmo sonho no Brasil”.

Pensou em ficar fora

“Esse momento cruzou a minha cabeça o tempo inteiro. Estive na primeira convocação do Tite em 2016. Em todos esses dois anos, não estive e pensei nisso, sim”.

Contato com Renato

“Jogadores, comissão técnica, pessoal do apoio estavam lá. Cumprimentei todo mundo. Renato foi a primeira que me deu abraço. Não conversamos ainda, mas foi um abraço que fala mais que mil palavras”.

Convocado só pelo futebol?

“Com certeza, por outras coisas também, caráter, personalidade, tudo isso leva em conta. Meu exemplo aqui no Grêmio todo mundo quer ser igual. E claro, o futebol, que é o mais importante”.

Geromel tirou foto com gremistas que estão em Maturín, entre eles Gilnei, pai de Ramiro (Foto: Eduardo Deconto / GloboEsporte.com)

Momento na carreira

“Estou com certeza na melhor forma da minha carreira. Estamos disputando três competições. Chego muito bem”.

Consegue treinar nesta tarde?

“Vamos assimilar, trabalhar ainda hoje, fazer um vídeo preparatório para o Monagas. Não vai ser agora que vou tirar o pé”.

Agradecimento ao Grêmio

“Sem o Grêmio, nada

Leia a notícia completa em:

Na Venezuela, Geromel celebra convocação para Copa: “Momento mais alto da carreira”