No embalo de Everton e no início do segundo tempo: o raio-x dos 104 gols do Grêmio na temporada




Félix Zucco / Agencia RBS

A diferença para o ataque mais positivo do Brasil é de apenas quatro gols. Com 104 marcados até o momento, o Grêmio se mantém na disputa com o Palmeiras pelo principal poderio ofensivo do país. Everton, o destaque da temporada, centraliza os holofotes, com 17 tentos. E o início do segundo tempo tem sido fundamental para o time surpreender os adversários.

Porém, uma das marcas do Tricolor de Renato Gaúcho, o ataque vem desfalcado por Luan nas últimas partidas e só tem um gol marcado por atacante, Thonny Anderson, na derrota para o Sport, nos cinco jogos anteriores.

Artilheiros

Everton lidera a lista com folga. Apesar do gol perdido diante do River Plate, na semana passada, sobra crédito ao camisa 11, melhor jogador gremista do ano e convocado para a seleção brasileira. No total, balançaram as redes 27 jogadores do elenco gremista, mas Everton, Luan, Jael e Alisson são responsáveis por quase a metade dos gols – juntos, somam 46 dos 104.

Na lista, percebe-se a decepção com André e Marinho. Principais investimentos do Grêmio em 2018, ainda não renderam o esperado, ambos atrapalhados por problemas físicos. O centroavante soma quatro tentos, mesmo número de Arthur, hoje no Barcelona, e Ramiro. Ano passado, foram 27 com a camisa do Sport, 16 só no Brasileirão.

Luan, dúvida para o Tricolor contra o Vasco, no domingo, na Arena, e Jael protagonizam a briga de maior assistente do ano. O camisa 7 desgarrou recentemente, embora o Cruel tenha feito dobradinha com Everton – quatro dos nove passes foram para o Cebolinha.

Mapa dos gols

Os números só servem para provar algo já bastante conhecido do Grêmio: os ataques, em sua grande maioria, saem de pé em pé, pelo chão. É a característica da equipe desde 2015, mas potencializada após a chegada de Renato, em setembro de 2016. Foram apenas quatro gols em cobranças de falta: Luan, Maicon, Jael e Ramiro foram os responsáveis.

Jogadas que resultaram em gols

Bola rolando: 70

Pênaltis: 16

Escanteios: 10

Cobranças de falta: 4

Bola parada: 4

O jogo com a bola no chão, portanto, gera uma série de oportunidades para finalização. Por isso, são mais de 80 gols feitos em chutes, e apenas 15 em toque pelo alto, de cabeça. Everton e Luan lideram constantemente a lista de finalizadores do Grêmio. Os dois jogadores formados no clube são as principais armas do time em 2018.

Tipos de finalização

Pé direito: 60

Pé esquerdo: 27

Cabeça: 15

Contra: 2

O estilo do Grêmio também faz os jogadores arriscarem menos. A ideia é sempre manter a posse de bola e procurar o melhor ângulo ou até mesmo um companheiro em melhor condição para finalizar. Assim, o Tricolor acumula os gols dentro das áreas grande e pequena. Os chutes de média e longa distância representam menos bolas na rede que cobranças de pênalti, por exemplo.

De que local do campo saíram os gols?

Grande área: 50

Pequena área: 23

Fora da área: 15

Pênalti: 16

Os últimos 45 minutos das partidas transformam o Grêmio em um time mais perigoso. São 62 gols marcados na etapa final, contra 42 feitos no primeiro tempo. A conversa no vestiário com o técnico Renato geralmente traz resultados. Os primeiros 15 minutos depois do intervalo são o período com mais gols anotados pelo Grêmio: 22. A preparação física – e a emoção – também estão em dia, já que depois dos 30 do segundo tempo, são 24 gols marcados, seis deles nos acréscimos.

No embalo do segundo melhor ataque do Brasil, o Grêmio aguarda o confronto com o Vasco, pela 33ª rodada. Como a Libertadores ficou pelo caminho, abriga agora é pelo G-4. Com 55 pontos e na quinta colocação, o Tricolor está a dois do São Paulo, logo

Leia a notícia completa em:

No embalo de Everton e no início do segundo tempo: o raio-x dos 104 gols do Grêmio na temporada