Triunfo valioso




Lado a lado, os jogadores de Grêmio e Monagas pisam o gramado e se perfilam para o protocolo habitual da Libertadores antes de a bola rolar para a sofrida vitória gremista por 2 a 1, nesta terça-feira, no Monumental de Maturín. Nas arquibancadas, a torcida local dá show à parte, com uma recepção calorosa – inversamente proporcional à presença escassa de público -, aos cânticos, e faz até chover dinheiro no céu do maior estádio da Venezuela.

Não é força de expressão. Apenas mais uma faceta da realidade de um país combalido, que sofre diariamente com uma grave crise política e econômica. Com a desvalorização de seu dinheiro por uma inflação que deve chegar a 13.000% ao fim do ano, sai mais em conta aos maturinenses arremessar as cédulas de 100 bolívares ao alto do que comprar papel para picar. Foi a primeira de uma série de cenas inusitadas que marcaram os 90 minutos de partida e narradas pelo GloboEsporte.com abaixo.

Torcida “raiz” e comida liberada

Torcedores do Monagas na caçamba de caminhão (Foto: Eduardo Deconto)

Em meio à crise que os faz formar filas para ter acesso a remédios, dinheiro e produtos básicos, os venezuelanos se viram como podem para poder viver um respiro de diversão com o futebol. Com estrutura limitada e insuficiente de transporte público, muitos maturinenses, como são chamados os locais, circulam pela cidade sem qualquer proteção na caçamba de camionetes e pequenos caminhões. A opção foi adotada até pela banda da torcida organizada, que chegou ao estádio com instrumentos em mãos em um dos veículos.

O Monagas, aliás, se sensibiliza à crise. O clube liberou aos torcedores a entrada no estádio com comida e bebidas. Isso, desde que levassem seus alimentos em vasilhas e garrafas plásticas. Não à toa, muitas delas voaram na comemoração do gol contra de Kannemann.

Cão ficou no “quase”

Cusco “barrado” no estádio (Foto: Eduardo Deconto )

Volta e meia, os gramados da América Latina são percorridos por cães que driblam os seguranças e irrompem entre os jogadores para dar trabalho ao estafe dos estádios até retirá-los. Nesta terça-feira, porém, uma cadela teve a festa vetada por um funcionário do Monagas. O “cusco” circulava à beira do túnel de acesso minutos antes da partida, mas acabou conduzida para fora do estádio.

Torcedor… Desinibido

Em meio aos locais, um grupo de brasileiros com camisas de Santos, Cruzeiro e Corinthians torcida pelo Grêmio e, em especial, por Renato Portaluppi. A proximidade do alambrado com a beira do campo as fez entrar em euforia e gritar insistentemente pela atenção do ídolo, que até respondeu com um aceno. Mas a festa ficou em segundo plano no vídeo registrado pela reportagem do GloboEsporte.com. Um torcedor venezuelano ainda mais entusiasmado se levantou e, de costas, baixou as calças… Bom, a imagem fala por si só (veja abaixo).

Um torcedor engraçadinho/desinibido mostrou bem mais do que a reportagem pretendia gravar por aqui. A

Leia a notícia completa em:

Triunfo valioso